#Do Verão para o Outono [dentro do roupeiro]

terça-feira, outubro 28, 2014



As minhas estações favoritas são sem dúvida as meias-estações ["no meio é que está a virtude", diz-se por aí]. Gosto particularmente de mudanças, embora não goste que às 6 da tarde já seja de noite. As meias-estações trazem consigo uma espécie de possibilidade de auto-regeneração, como se nos fosse dada uma 2ª oportunidade para corrigirmos tudo aquilo que não fizemos bem da última vez. Ou seja, o ciclo repete-se, tal como se repetem as estações do ano. De Setembro a Dezembro temos aquilo a que chamo a fase de estágio, isto é, o momento ideal para provarmos a nós mesmos que não vamos falhar. Se durante esses 3 meses nos agarrarmos bem aos nossos objectivos, é possível que a 31 de Dezembro não precisemos de elaborar uma lista de resoluções para o próximo com o tamanho de um rolo de papel higiénico [eu falo por mim... todos os anos prometo que vou mudar isto e aquilo e aquele outro, o mundo, as pessoas, quem sabe até toda a galáxia.... Este ano eu prometo que bebo menos na festa da passagem de ano!].

Só não gosto das meias estações por causa de um comboio de actos irreflexos que se insurgem dentro da minha casa. Ou melhor, dentro do meu roupeiro... De cada vez que muda a estação apetece-me vender a roupa toda que eu tenho e comprar nova. E atenção, eu não tenho o menor estilo para ser dondoca [ou carteira que o permita]. Defendo piamente que esta vontade de "mudar de pele" é mesmo uma necessidade psicológica feminina de elevada importância sociológica [não dizem que as mulheres são como as cobras, então habituem-se].

De volta ao planeta terra, convém esclarecer que estas mudanças, infelizmente para quem faz parte do proletariado nacional, não podem ser realizadas de uma forma instantânea, quando se nos dá na telha... vão sendo concretizadas aos poucos, quando no fim do mês resta o suficiente  para cometer aquela loucura que é comprar uma peça de roupa que custe mais do que 20€ [hurrah! hurrah! hurrah!]. Então como é que uma mulher faz para atravessar este deserto, de fome e de sede? É simples [pelo menos eu uso alguns truques].

O segredo é ter um roupeiro com as peças base indispensáveis e ir adicionando ou retirando camadas conforme a estação em que se entra. Quando eu tirei o meu curso de Personal Shopper em Espanha, uma das primeiras criticas que a formadora me fez ao analisar a forma como eu me vestia era o facto de misturar com muita frequência tecidos de Verão com tecidos de Inverno. Recomendou-me que tivesse mais cuidado com as texturas e que não conjugasse volumes tão opostos. De facto, concordei com a análise dela, mas não foi por isso que deixei de misturar roupa de Verão com roupa de Inverno, aliás, essas dicotomias já nem sequer se colocam nos dias de hoje [a ver pelo que por aí anda na rua, parece Verão o ano inteiro!].

Por exemplo, os vestidos de meia manga são óptimos para esta fase do ano, e quando o tempo arrefecer podem continuar a usá-los com collants, e podem efectivamente combinar os collants com sandálias, não há nada de errado nessa fórmula, antes pelo contrário, até é considerada um elemento de sofisticação.

As saias com comprimento tea lenght também são óptimas para esconder os joelhos e aquecer as pernas e combiná-las com sweatshirts básicas de manga comprida confere um look descontraído, mas simultaneamente cuidado. E por último, tal como disse antes, o segredo é ir adicionando camadas como por exemplo casacos em diversos formatos: blazers, cardigans, biker jackets, e por aí fora. E claro, aproveitar estes momentos de excelência para brincar com os acessórios: lenços, chapéus, turbantes, tudo o que ajude a aquecer, mas sem sufocar que ainda não estamos lá! Se o frio já vos chegou aos pés, então é altura de apostarem nas sabrinas e nos botins rasos [salvo nos dias em que São Pedro decidir lavar o quintal].

Para quem não pode entrar numa loja e comprar tudo o que lhe apetece, [tal como a minha pessoa], seria mais inteligente usar o orçamento disponível para adquirir peças que façam realmente falta... o que restar pode destinar-se aos básicos, [dão sempre muito jeito], e a uma ou outra peça mais trendy que tenha escrito na etiqueta: intemporal. Espero que as minhas dicas vos possam ser úteis! Qualquer dúvida que tenham, façam o favor de me escrever para cc@ccstylebook.com [em breve vou ter umas reuniões muito engraçadas para se juntarem a mim nestas #conversasdemulheres... espero que alinhem!]. Boas compras! [e vá, contenham-se, sff!].

Au revoir! Pinterest // Instagram // Facebook // Twitter
[photo credits: Linha Curve & Plus Size, da Asos]

Deixe um comentário

1 comments

  1. " De cada vez que muda a estação apetece-me vender a roupa toda que eu tenho e comprar nova"

    Ai, que tenho o mesmo problema!
    E sempre que abro o guarda-roupa, nunca sei o que vestir.
    E este outono trocou-nos as voltas, embora esteja agradável, mas já não apetece vestir roupa demasiado fresca e calçar sandálias,de verão.
    Tendo as peças fundamentais, faz-se o outono e inverno, mas a vontade de comprar coisas novas é demais...E preciso de conter-me.
    Beijinho

    ResponderEliminar