#Os peitos da cabritinha

sexta-feira, novembro 07, 2014



"Estas mamas já deram de mamar a muita gente"

É um trabalho chato do qual eu me queixo muito, mas tenho de confessar que há dias em que parece a divina comédia. As pessoas do meu entorno social dizem-me que tenho uma veia dramática para contar estórias [e sem ela, garanto-vos que não tinha sobrevivido ao primeiro ano de loja]. Com este talento todo, [tão mal aproveitado], antes de me reformar, e passar os dias sentada no alpendre da minha casa na Terceira, a olhar para a Graciosa nos dias em que não houver nevoeiro, eu tinha pensado em tentar a minha sorte nas novelas da TVI. Com tantas horas de drama e improviso, a representação parece-me uma saída viável [e quiçá única] nos dias que correm... 

Como se isso não bastasse, sinto que me corre no sangue todo uma herança artística... Não que isso me tinha sido transmitido pela família [não tenho nenhum familiar directo com um talento específico]. E também nunca fui muito dedicada às artes [a minha mãe deixou-me quatro anos seguidos a ter aulas de música e eu nem uma pauta sei ler!]. Mas está escrito no meu nome o meu destino rumo ao estrelato. A minha queridissima mãe, a mesma que acreditou que eu um dia ia ser uma excelente música, baptizou-me com um segundo nome daqueles que poucas figuras públicas conseguem bater. Eu atribuo o devaneio às dores do parto, [nos anos 80 a epidural não era uma coisa muito em voga nos hospitais], mas ela diz que foi graças a uma telenovela brasileira. Ora aí está, quaisquer que sejam os factos, confirma-se a teoria.  

E graças às minhas clientes descobri que afinal o caminho é outro... com pérolas destas tão eloquentes e com a minha grande paixão pela escrita, acho que o futuro me reserva uma carreira como letrista! [dado o teor da matéria prima com que trabalho, penso que poderia vir a escrever algumas das melhores canções do Quim Barreiros... e nos dias em que a depressão me der forte e feio, posso tentar ser suficientemente poética para conquistar o coração do Emanuel. E já agora, porque não toda a família Carreira? Criança que fui e homem que sou, e nada mudou...] Eu esforço-me por deixá-las chique chiquérrimas, mas como vocês vêem, às vezes é uma missão impossível... Mas a CC não se dá por vencida. Vocês ainda vão ouvir falar de mim! Bom fim de semana!

Au revoir! Pinterest // Instagram // Facebook // Twitter
[photo credits: via]

Deixe um comentário

2 comments