#All I want for Christmas it's me!

segunda-feira, dezembro 01, 2014


"Love your whole story even if it hasn't been the perfect fairy tale" [Melanie Koulouris]

Se querem saber, agrada-me que o ano esteja a chegar ao fim [embora não seja tão optimista como uma colega minha que diz "daqui a 6 meses é Verão outra vez!"]. Não sei se vocês partilham do mesmo sentimento, mas por estas bandas, Dezembro começou com o objectivo de encerrar uma viagem... Uma viagem de longo curso que durou 365 dias e que foi no mínimo bastante turbulenta. É por isso que vou despedir-me de 2014 sem dó nem piedade porque não tenho nenhuma vontade de o repetir, apesar de todas as coisas boas que aconteceram a meio do caminho.

O ano passado, por esta altura, confesso que não estava nas melhores condições. Estava a adaptar-me a uma série de coisas novas. Tinha acabado de mudar de casa. Estava a aprender a viver sozinha. E tinha começado a desesperar por causa do trabalho. Normalmente nunca ninguém gosta de assumir o quão fraco se sente [ou se sentiu], mas não me preocupa dizê-lo perante vocês. Depois destas mudanças todas vieram os 30 para se juntar à festa [festa houve pouco]. Veio a ansiedade. E vieram também as ideias viradas do avesso [como são incríveis as partidas que o nosso cérebro nos prega...]. Até ao dia em que o meu corpo colapsou e eu me vi internada nas urgências de um hospital [sim, é verdade, mesmo que eu preferisse que tivesse sido mentira].

Desde que Janeiro do ano passado começou, viajei imenso, aprendi coisas que até então nunca tinha percebido, fiz amigos novos [que são todos muito bem-vindos], desisti de pessoas que acrescentavam pouco à minha vida e comecei a perceber uma coisa... Uma coisa que me parece bem fundamental: apesar da vida nos forçar constantemente a sermos outras pessoas só para cair na graça de alguém, eu fui sempre aquilo que sou, e isso, depois de tantas derrotas espirituais, deixa-me mais do que orgulhosa de mim própria. "Speak the truth, even if your voice shakes". Ai o que eu tremi... e tanto que a minha voz vacilou... mas por fim, permaneceu. E é essa vitória que eu comemoro hoje, no primeiro dia de Dezembro. 

Então, às minhas amigas que mudaram de vida este ano, àquelas que se lançaram em projectos com nome próprio, às que se casaram e às que foram mães, às que voltaram a estudar; à minha irmã que superou os seus medos e o seu pânico, ao meu tio que resistiu a três meses de tratamentos oncológicos dolorosos, e a todos aqueles que também viajaram muito, este Natal significa uma única coisa: significa o regresso. Ao que somos e ao que nos define e eu gostava muito que esse fosse o espírito certo... É por isso que "all I want for Christmas it's: me!" porque a coragem de sermos quem somos é tudo o que nos resta [as ideias continuam viradas do avesso, ou não fosse eu a CC, mas ao menos agora sei de uma coisa: o meu coração voltou ao sítio]. Aos sonhos. À esperança. À liberdade e às paixões. E ao dizer "não" a quem me disser ou pedir que desista disso tudo e que faça de mim alguém que eu não quero ser.

Merry Christmas! Pinterest // Instagram // Facebook // Twitter
[photo credits: ccstylebook]

Deixe um comentário

4 comments

  1. É por todos os motivos que aqui deixou registados, que eu gosto muito de si.
    "All I want for Christmas is your hapiness"
    E para mim "All I want for Chritmas is someone who could love me"., ahahahahah. :)
    Kiss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria pelo seu carinho... representa muito para mim. Eu também lhe desejo o mesmo: muita felicidade para 2015 e essa pessoa, que tanto espera! Vou torcer os dedos para que isso aconteça! Beijinho

      Eliminar
  2. Tão bom esses textos! Incrivelmente também fui parar nas urgências do hospital pela primeira vez na vida este ano, graças ao stress e uma crise de coluna indescritível. Quem dera 2014 tivesse sido melhor, mas muitas coisas se decidiram neste ano e não calei a minha voz, quando muitos queriam calá-la! Tenho 32 anos e uma coisa que aprendi desde que aqui cheguei foi, nunca perder a minha identidade, nunca deixar de ser eu e nunca deixar que me calem a voz. Mesmo que isso me faça perder os pouquíssimos amigos ou que me faça ser a pessoa mais sozinha do mundo, como já sou normalmente. Aprendi a não fazer frete, a dizer não e a dizer todas as verdades na cara de quem pensa que eu não estou a ver todas as artimanhas que anda a aprontar.
    Não tenho medo desta vida! Afinal, é a minha vida e eu tenho que vivê-la como EU quero e acho bem e NUNCA como os outros desejam porque eles não sabem o que é melhor para mim, só eu!

    Beijinhos CC!! Que 2015 venha cheio de surpresas boas e que sejas bem mais feliz do que és no dia de hoje!! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Revi-me em cada palavra tua Clênia. E nunca imaginei que resistir da forma como resisti me atirasse para as urgências de um hospital... Não devemos ser as únicas a quem isso aconteceu... Por estes dias o meu médico disse-me uma coisa que fez muito sentido: "mude de vida". Acho que esse é o único remédio que me fará sentir melhor. Obrigada pela partilha aqui no blogue e obrigada pelo apoio! 2015 tem de ser muito melhor! Muito melhor mesmo! Beijinho

      Eliminar