#Que palavra define o vosso ano?

quinta-feira, dezembro 18, 2014



A conversa começou por acaso, no trabalho [durante o expediente, e principalmente à hora de almoço, partilham-se muitas (in)confidicências, voluntária ou involuntariamente... as #estoriasdebalcão nem sempre estão do lado de fora. a de hoje, é sobre o outro lado. o lado em que as "máscaras" caem]. A M. contava-me, em modo sincero, o quão exacerbada se sentia neste preciso momento e a forma como esse sentimento se tinha feito repetir nos últimos meses da sua vida. Sentia-se cansada, a viver dentro de um mundo que não é aquele que tinha planeado, sufocada por contas que não paravam de chegar, e angustiada pelas horas que corriam e que lhe sugavam o tempo que lhe restava para brincar com a filha. Em jeito de desabafo, concluiu o "bota-fora" com a palavra "sobrevivência" dizendo que era esse o nome próprio que definia o seu ano e aquilo que ela tinha conseguido fazer: sobreviver, a [duras] penas.

Fiquei a pensar nisso que ela me tinha contado, e no fim de alguns dias, apropriei-me da palavra dela [aliás, percebi que a palavra dela era uma óptima palavra para definir o ano de todos aqueles que me rodeiam e que me são mais próximos (incluindo o meu)... sobrevivência soa-me perfeito]. Na altura em que a M. me levou a reflectir sobre isto, eu ainda não tinha coisas suficientes para lhe dizer, mas hoje, acho que já lhe posso dizer umas duas ou três, e a primeira dela é muito simples: sobreviver, ou "manter a cabeça à tona da àgua", não é uma coisa necessariamente má, antes pelo contrário, é uma virtude humana, comum a centenas de mortais que faz de nós gente [mais] forte. 

Podem existir palavras mais vitoriosas, mas "sobrevivência" não faz a estória de ninguém menos heróica. Viver é isso mesmo, um esforço constante, e ainda bem, minha cara M. que isso ainda nos é permitido. Sobreviver pode parecer que dá cabo de nós, mas um dia irás perceber que esses anos de sobrevivência só te fizeram melhor... Na realidade, quem não vive, não sobrevive e é isso que eu queria que tu soubesses. Estás no bom caminho. No caminho onde todos nós estamos. E donde todos nós esperamos sair, mas aonde todos nós voltamos. Enquanto sobreviveres tens a oportunidade, todos os dias, de conseguires coisas que talvez nem desejasses se apenas te limitasses a viver. "Sobrevivência", é a melhor das palavras que tu podias ter escolhido. Orgulha-te. Porque tu, e todos nós, [pelo menos aqueles que eu conheço] o merecemos.

[p.s - depois de me lerem, aqueçam um chá e ponham a tocar esta música. aos sobreviventes.] 
[photo credits: ccstylebook]

Deixe um comentário

1 comments

  1. Incrível que essa palavra é a que actualmente a maioria de nós, mais velhos e mais novos, a tem na sua vida.
    Estou inteiramente de acordo e a CC tem uma característica tão bem definida em escrever as coisas de uma forma simples, que toca, que nos põe a reflectir.
    Sobrevivência que ao longo dos anos me acompanhou, mais nuns que noutros, sempre a pensar no dia-a-dia, nas contas, no adiar de planos, no aceitar que enquanto tive emprego e o salário caía todos os meses na conta, sentia alguma felicidade por ter emprego, ganhar razoavelmente bem e fazer quase tudo, sem excessos, o que gostava para a minha vida.
    Sobrevivi a tantas intempéries de sacrifícios, de entendimento, de falta de dinheiro, de compreensão, mas também tive muito bons anos de felicidade, coragem em enfrentar a sociedade e os meus medos.
    Agora que a vida que escolhi foi o descanso, mais contas à vida faço, e tento (sobre)viver, sem me queixar demais e com a esperança de que quando acabar os meus compromissos bancários, e se Deus quiser, aí, sim, vou viver o resto da minha vida sem ter de pensar muito no dinheiro(de quem não sou muito amiga)
    A música/letra é excelente e tem a ver com o assunto deste post.
    Beijinho

    ResponderEliminar