#Quantas curvas definem uma mulher?

domingo, janeiro 04, 2015



"Those who are easily shocked, should be shocked more often" [Mae West]

Sim é verdade, depois de ter a cabeça no sítio, o que eu pretendo fazer a seguir é pôr o corpo no sítio! Mas atenção! "Pôr o corpo no sítio" não significa que eu tenha um número definido na minha cabeça que resuma os quilos que eu pretendo perder [apesar das tabelas de índice de massa corporal [IMC] vaticinarem antecipadamente qualquer dieta que uma pessoa se proponha fazer]. Eu quero um corpo funcional, isto é, quero um corpo com músculos mais resistentes e com estruturas mais flexíveis [que me poupem as idas frequentes ao ortopedista]. Isto de andar a subir e a descer escadas com caixotes empilhados no cabeça, tipo varina, não é para copinhos de leite, meus filhos. É p'ra gente forte [e grande]. P'ra gente que normalmente faz o trabalho sujo (a.ka. duro) sem a ajuda de ninguém, enquanto os outros ficam a coçá-los [desculpem-me a malcriadez]. 

Apesar de tudo, a intenção de pôr tudo no sítio também não significa que eu viva mal com o que eu tenho [viveria muito melhor se aguentasse concertos de 3 horas a dançar como a Beyoncé dança, é óbvio]... Mas como todos vocês sabem, a idade não perdoa, e as articulações já estão um pouco p'ró enferrujadas! Atendendo aos números da esperança média de vida em Portugal, mais vale começar a pensar no futuro no sentido da prevenção... porque remediar não costuma dar lá muito resultado.

Um dos melhores exemplos que conheço quando falamos em (con)viver bem com o corpo que se tem é o exemplo da Tess Munsterbloguer, modelo plus-size, e maquilhadora profissional. A Tess ficou conhecida pelas suas curvas [e pela sua coragem!]. O weight bullying de que foi alvo na escola não a inibiu de mostrar o seu corpo tal como ele é. É por essa razão que o seu nome figura hoje entre os maiores Body Positive Activists da actualidade.

Infelizmente, aqui há dias, a Tess escreveu na sua página de facebook o seguinte: "Since when did being fat mean that your hapiness and well being meant less to those around you? Would I matter if I had a smaller frame? Would you bite your tongue before lashing out at me just for existing? Would you think twice before starting a sentence with "you would be so beautiful if"... or "if only you would...". Would it mean that you minded your own business and stopped trying to be my savior? Doubtful...but one can dream and wonder."

Quantas vezes eu própria não ouvi o mesmo vindo de alguém que mal me conhecia, "és tão bonita, se emagrecesses ainda ficavas mais..." [e que tal meterem-se na vossa vida, suas incheridas! que o mar vos leve, tipo oferenda para Iemanjá! e que não vos devolva à terra, por favor!]. É por acreditar plenamente em mulheres como a Tess que recentemente tomei a decisão de proibir todas as minhas clientes de pronunciarem a palavra "gorda". E que tal começarem a gostar de si mesmas, mas p'ra valer, certo?

A Tess é linda e acho que ela merece todo o nosso respeito e toda a nossa admiração [pelo menos a minha ela tem]. E merece também todo o nosso apoio pelo trabalho que tem feito. Este é o meu serviço público de hoje: a beleza não é um tamanho, é uma atitude. Faz parte do carácter de cada pessoa [e se vocês não consideram a Tess uma pessoa bonita, então deixem-me que vos diga que os feios são vocês].








Bye Bye babies! Pinterest // Instagram // Facebook // Twitter
[photo credits: via]

Deixe um comentário

1 comments

  1. A Tess é bonita, tem umas boas curvas e a única coisa que por vezes me "aflige" quando vejo pessoas como ela, é a questão cardiovascular.
    Quanto à ferrugem, e embora seja cedo para a sentir, "prevenir a velhice" como eu costumo dizer é um incentivo para pôr pernas e mãos à obra, fazer exercício físico em casa, fora de casa, no ginásio, onde quer que se queira e mais tarde o corpo agradece.
    Subir e descer escadas é um ótimo exercício...agora com caixotes empilhados na cabeça, cuidado!

    Beijinho

    ResponderEliminar