#A magia do (re)nascer

quinta-feira, fevereiro 05, 2015


Ontem adormeci com um sorriso nos lábios e acordei da mesma forma. E não me custou. Não me custou nada. Foram os próprios lábios que se curvaram voluntariamente... e eu deixei-me levar. Soube bem. Soube bem em muito tempo não ter de pensar em controlar um sentimento meu. E esse cheiro a liberdade trouxe um sentido diferente ao meu amanhecer. Sentia que algo em mim tinha renascido e o curso do dia acabou por me confirmar que as pessoas são feitas disso mesmo, de constantes (re)nascimentos.

Quando cheguei ao trabalho a primeira cliente que atendi era uma cliente que tinha sobrevivido a um cancro da mama. E como ontem se assinalou o Word Cancer Day ela tinha decidido celebrar o dia, e o quase fim de um processo, (bastante) doloroso, com a compra de um soutien. O soutien não era o motivo da celebração, o motivo era outro... A primeira pessoa com quem me cruzei nesse dia, de manhã, celebrava exactamente o mesmo do que eu: a possibilidade de renascer.

Não sei porque é que a vida nos prega estas partidas insistindo em cruzar pessoas anónimas com sentimentos comuns, mas depois de ter falado com essa senhora tive a certeza de que de facto as 2as oportunidades existem. "O cancro obrigou-me a congelar a minha vida. Obrigou-me a parar, a pôr tudo em standby. É um processo em que se perde muita coisa e depois ainda nos obriga a ir atrás daquilo que perdemos, mas hoje, quase no fim disto tudo, sinto-me completa. Sinto que o cancro me fez renascer de novo." 

O seu sorriso era contagiante. Os lábios dela curvavam-se involuntariamente. E não lhe custava. Não lhe custava nada. Foram os próprios lábios que se curvaram... e eu, eu deixei-me levar. Ainda bem que estas pessoas se atravessam ao acaso no meu caminho. São testemunhas óbvias daquilo que a vida tem de melhor. São grandiosas mesmo feitas de pequenos nadas e quando me despedi dela agradeci-lhe a boa acção que ela tinha feito e ela perguntou: "o quê?". E eu respondi-lhe "inspirou-me e isso é quanto baste, acredite". É por isso que todos nós temos de acreditar nas 2as oportunidades. Elas existem. E aparecem sempre que uns lábios se curvam voluntariamente. Sem esforço. Sem camuflagens. Sem metáforas.

[imagens: ccstylebook]

Deixe um comentário

1 comments