#Greve de Limpeza

quarta-feira, fevereiro 25, 2015


O "meu" bairro tem coisas muito engraçadas. A "minha" rua também e (d)o "meu" prédio nem se fala... Posso dizer-vos que é bastante multi cultural. No 2º andar mora uma francesa que se apaixonou por Portugal. Mudou-se de malas e bagagens e abriu uma patisserie [atelier de pastelaria] na rua. Tornar-me amiga dela podia trazer-me alguns benefícios... primeiro, praticar o meu francês enferrujado e segundo, degustar, gratuitamente algumas das delicatéssen que a moça faz. 


No 2º andar, do outro lado, mora um casal de brasileiros e dois indiozinhos pequenos que servem sobretudo de despertador matinal [eles não andam, eles marcham!]. Ah, há também um cão que se lhes pertence e que de vez quando junta-se ao forró acompanhando a festa com alguns latidos. Depois há as chamadas pelo skype no volume máximo, as festas de aniversário [é big, é big, é big, é big, é big, é hora, é hora é hora, é hora, é hora, ra-tim-bum!] e as comemorações do Dia de Iemanjá, tudo de porta(s) aberta(s).

No 1º andar moro eu, uma açoriana (escritora) que ganha a vida a "arrumar mamas" e um casal de idosos bem conservados. Quando vim para cá a vizinha do lado seguiu o protocolo e quis conhecer-me. Contou-me a estória toda do prédio, [várias vezes na mesma conversa], contou-me metade das estórias da vida dela e parte das estórias da rua inteira, portanto a dona M. é o melhor posto de informações que eu posso ter. Não lhe revelei muito sobre mim, mas tive o cuidado de lhe explicar que trabalhava numa loja e que era obrigada a andar de preto... não queria que ela pensasse que eu trabalhava numa agência funerária quando visse a roupa na corda.


E de repente, nesse primeiro diálogo, lançou a bomba: "Também lhe queria dizer que a limpeza das escadas é dividida entre o 1º andar. Disse vezes sem conta ao moço que morava aí antes de si, mas ele nunca se deu ao trabalho. Os outros lá de cima só sujam e não limpam nada. São os miúdos a descer as escadas, raspam na parede, é o cão que deixa pêlo em todo o lado, são as migalhas do lanche pelo chão, um desmazelo. A francesa nunca a vejo. Sai antes de toda a gente e entre depois de toda a gente. Então a limpeza fica a ser uma semana minha, uma semana sua."

Não lhe quis dizer directamente que não tratando-se da nossa primeira interacção, mas achei-a um pouco abusada. Disse-lhe que sim, que quando limpasse a casa também dava um jeitinho nas escadas e arrumei o assunto. Quando estou de folga e ela sai para o mercado, aproveito para fazer o meu brilharete, pego na esfregona e ponho-me a fazer de carochinha na entrada do prédio... Assim quando ela volta pode confirmar que estou a cumprir o nosso acordo. E sou toda sorrisos "cuidado dona M., olhe que o chão está molhado". Uma pessoa tem de se dar bem com a comunidade [não vá um dia eu precisar de alguma informação útil]. E andámos nisto durante o ano.


Chegou-se o Natal e um dia, em casa, sinto a família tropical marchar escada abaixo, nisto a dona M. abre a porta e pára o pelotão: "ah tenho aqui uns presentinhos para os meninos, comprei para eles, bom natal para vocês todos". Eu não sou de ouvir atrás das portas, [só quando é veemente necessário] mas para vos dizer a verdade senti-me ofendida. Então e eu? Eu não mereço nada? A dona M. pode ter achado que eu não precisava de chocolatinhos, [já sou fofa o suficiente], mas uma caixa de chá, por exemplo, seria no mínimo agradável. Os outros sujam, eu limpo, eles ganham presentes, eu não. Há aqui algo de errado, não há?

Então desde o Natal que estou oficialmente de greve. Há flocos de cal pelo chão, pêlo de cão nos tapetes e quem sabe o que mais poderá estar infestado nas escadas do prédio... Para dizer a verdade, também não a tenho visto limpar. Deve estar constipada ou mal das cruzes. E eu estou mal de cabeça... Sofro de um mal, pouco decente, chamado de "cá se faz, cá se paga". Desculpa vizinha mas não seguiste o protocolo como deveria ser. Aconselho-te a aprenderes francês, pode ser que a pasteleira vá na cantiga, já que os brazucas, nem com presentes.

Drogaria Tradicional 

[fotos originais: ccstylebook]

Deixe um comentário

2 comments

  1. Ai CC, que adoro os seus posts!
    E tenho a dizer que vive num sítio lindo, principalmente porque é nos bairros de Lisboa, o azulejo é lindíssimo (quando vou a Lisboa e passo por tuas com casas com azulejos, a máquina fotográfica entra logo em acção), a vizinhança, parece-me que podia ser melhor , mas é o que se tem.
    Quando a dona M refilar, diga-lhe que há mais inquilinos no prédio, chegou a vez deles limparem.
    Raios partam as vizinhas .
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deu-me muito prazer passear pelo meu bairro e tirar estas fotografias...
      Estava um sol especialmente bonito e acho que mostro uma Lisboa genuína :)
      A vizinhança não me chateia muito, mas a dona M. deve-me uns chocolatinhos!
      Bom fim de semana Maria!

      Eliminar