#[Ao(s)] dia(s) da mulher

domingo, março 08, 2015


Como vocês sabem eu defendo bastante as mulheres, mas não faço o elogio do "dia da mulher"... Entendo a razão da sua existência por causas históricas, mas fora isso, não defendo que mereçamos tratamento especial... As mulheres são mulheres todos os dias. Às vezes até são mais do que mulheres. São metamorfoses... Albergam em si a capacidade de se reinventarem, de sol a sol, dia após dia, Primavera atrás de Primavera. E é aí que reside toda a magia que uma mulher encerra.

Ao largo destes 3 anos como consultora de lingerie tive o privilégio de trabalhar com muitas mulheres, de várias idades e de diferentes nacionalidades [creio que não há ninguém com uma amostra estatística (e sociológica) tão fidedigna quanto eu]. E cada uma delas, no seu jeito próprio, (ou menos próprio), levou-me a descobrir coisas que eu desconhecia pertencer-nos. 

As mulheres com quem me cruzei ao longo deste tempo ensinaram-me que é possível sobreviver depois de um cancro. Ensinaram-me que a vida não acaba com a devastação que um divórcio deixa pelo caminho. Ensinaram-me que apesar de não se gostarem de olhar ao espelho depois da gravidez que valeu a pena tudo pelo que passaram. As dores. Os receios. As noites sem dormir. Ensinaram-me que existe esperança no meio do desespero e da depressão. E que existe amor no meio da perda e da solidão. Ensinaram-me também que se pode ser feliz de várias formas, sem ser preciso ser-se feliz da forma que os outros são.

Às vezes é um fardo, confesso-vos. Trazer isto tudo para casa, em cima de mim, ao fim do dia. Eu apaixono-me tanto pelas estórias dos outros que há dias, e algumas noites, em que não as consigo esquecer. Acho que para onde quer que vá, fazer seja lá o que for, nunca me irei esquecer das muitas estórias de balcão que coleccionei... As que me fizeram rir, as que me deixaram sem palavras, as que me obrigaram a conter as lágrimas e as que me aqueceram o coração.

Eu não conheço todas as mulheres do mundo, mas acredito que todas as mulheres do mundo, [ou pelo menos aquelas que lêem este blogue] se conseguem rever nas minhas palavras. Uma das clientes que atendi nos últimos dias contou-me que tinha sido aluna do António Feio e que apesar de ter tirado um curso superior em Gestão, se tinha rendido às evidências: ao amor maior pelo teatro e pela representação. Garantiu-me que não era uma vida fácil, mas ao menos era uma vida que amava e que a deixava feliz. Então, utilizando agora as palavras do António, parece-me que a melhor maneira de homenagear as mulheres no dia de hoje se pode resumir a isto: "aproveitem a vida"! Eu ficarei muito, mas mesmo muito, orgulhosa de todas vocês!

[imagens originais: ccstylebook]

Deixe um comentário

1 comments

  1. Um abraço, CC.

    P.S.:
    Seria interessante fazer o registo das estórias que escuta. E um dia, seria mais interessante reuni-las e publicar um livro.

    ResponderEliminar