#Coleguinhas armados em técnicos de recrutamento

segunda-feira, abril 13, 2015

E quando os colegas de faculdade, bem sucedidos na carreira, aparecem na loja e nos vêem?? "Mayday, Mayday Houston we have a problem"! Das poucas vezes em que isso me aconteceu foram eles que ficaram mais incomodados do que eu, mas tal como vos escrevi no post anterior, [todos os trabalhos são dignos], "nunca seremos totalmente indiferentes ao [olhar de] julgamento dos outros". Nunca se sabe muito bem o que se dizer... nem eles a nós nem nós a eles.

Uma das vezes em que fui apanhada em flagrante, [não com a boca na botija, nem com as mãos na massa, mas antes nas mamas], senti que uma ex-colega de comunicação teve alguma dificuldade em definir a minha opção profissional e referiu-se a isso dizendo, "pois, as pessoas têm destas coisas, reinventam-se". Apesar de me ter soado mal ao inicio, ela não podia ter escolhido melhor palavra... Sempre fiz das tripas coração para me "reinventar" todos dias ao longo destes últimos 3 anos. Obrigada colega. Podia ter sido [bem] pior.

Agora os colegas que nem com pão os mastigo são aqueles que do alto de todo o seu esplendor abrem a boca para dizer barbaridades destas: "ah, passaste 3 anos numa loja... assassinaste o teu percurso profissional, nunca mais consegues voltar à àrea". Obrigada pela futurologia sim?! [poupam-me uma consulta com a Maya]. 

Dá-me um bocado de urticaria esta gente escrupulosa que para além de te dizer o que te diz ainda te envia mensagens por email quando cometes um erro ortográfico num post do blog só para avisar... Tenho tanta pena que a escrita deles seja imaculada, assim como a sua bendita carreira profissional. E eu que pensei que tinha estudado com pessoas de mente e coração abertos, mas se calhar enganei-me um pouquinho... 

Para mal dos meus pecados, acredito que posso voltar sempre que eu quiser, [mesmo que tivesse andado a vender peixe na lota], e se eu efectivamente o quiser tenho a plena consciência de que não será fácil, mas recuso-me a aceitar que alguém me diga que é impossível... Deve haver por aí muita gente que serve de prova à minha teoria... Nunca é tarde para fazermos aquilo que queremos fazer, mas isso se calhar são coisas que só as pessoas preparadas para se reinventar é que conseguem entender. Não lhes vou exigir que se esforcem pr'a pensar em temas que vão um pouco mais além da gramática portuguesa. 

Deixe um comentário

2 comments

  1. A mania de que o jornalismo é um profissão de elite.
    Ninguém pode prever o amanhã, seja para ele/elas, que de repente, podem deixar de exercer , e não preciso de dizer quais são, ou para a CC, que poderá ter uma porta aberta para o lugar deles, ou outra qualquer que não o jornalismo...a reinvenção vai para além do que pensamos ser/ter.
    Quanto aos erros, esqueça!
    Quando eles os dão, nós apanhamo-los com uma pinta do caraças.
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Maria, desde a faculdade que sempre senti isso, que o jornalismo era uma profissão de elites. Acho que é uma presunção demasiado grande para um país tão pequeno [e tão corrupto]. Beijinhos e obrigada!

      Eliminar