Não quero saber mais da balança!

sexta-feira, agosto 28, 2015


As fotografias são muito más, desculpem lá, mas são as únicas que testemunham os resultados que atingi nos últimos dois meses, frequentando o ginásio 5 vezes por semana. Não estou mais magra, aliás, na segunda foto até peso mais do que na primeira, mas convenhamos, estou muito melhor, não estou? (roam-se lá suas cobras cascáveis horripilantes)

Não foi pêra doce conseguir esta proeza, ouviram? Tenho muitos factores contra o meu possível sucesso: tomo medicação para a depressão/ansiedade, tenho uma relação emocional com a comida muito forte e muito instável, tenho crises frequentes do cólon, sofro de fadiga crónica, ah, e não tenho meio de transporte que me leve até ao ginásio (estou dependente de boleias). Melhor era impossível. 

De momento eu (ainda) não sou aquela pessoa saudávelzinha que se levanta de manhã cedinho cheia de energia para ir malhar. Claro que não sou. Eu obriguei-me a ir e aguentei dia após dia aquilo que conseguia, fazendo do pouco o meu muito. Se eu me privei de comer aquilo de que mais gosto? Claro que não. Na Terceira não se consegue fazer dieta. Até cheguei a brincar com a situação dizendo que eu ia para o ginásio apenas para poder comer mais... Eu vivo com os pés no chão. Bem calcados. Eu conheço-me. Não vou exigir demais de mim porque para isso já basta o mundo à minha volta.

Estes dois meses foram meses muito importantes sobretudo porque percebi que cuidarmos de nós não se resume a debatermo-nos com objectivos que nos infligem dor (literalmente). Quando estou cansada de andar na passadeira, eu paro. Quando as pernas começam a tremelicar quais torres gémeas a desabar, eu reduzo a sequência de agachamentos e por aí fora... A instrutora está muito preocupada porque aumentei de peso, eu não. Não liguem às balanças. Façam o que vocês têm a fazer, sem pressões, sem ideias preconcebidas, sem fórmulas, sem truques. Sigam o vosso ritmo (acelerem mais um bocadinho se forem umas verdadeiras tartarugas).

O exercício físico para mim é uma forma terapêutica de contornar a depressão. E até agora isso tem sido mais importante do que perder peso (é claro que se também der para perder umas "arrobas" tanto melhor! sabem que eu não tenho por hábito ser hipócrita). E era isso que eu gostava que levassem convosco hoje, quem veio até aqui, ler-me uma vez mais. Mesmo com o coração partido e com a cabeça muito baralhada, nós conseguimos ser mais fortes que os fantasmas que nos deitam abaixo. Eles vão ganhar-nos algumas vezes, aviso-vos desde já, mas também sei que vão enfraquecendo à medida que lhes fazemos frente e que teimamos em não desistir. May the force be with you!

Deixe um comentário

10 comments

  1. Muitos parabéns e continua com o bom trabalho! ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Marta! É para continuar sim senhora! Beijinho

      Eliminar
  2. Uau! Que bom aspecto CC :) agora é continuar, porque realmente o que menos importa é a balança e o resultado está à vista, sempre que te olhas ao espelho! Parabéns! *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Catarina! De facto o mais importante é gostar da pessoa do outro lado seja qual for o tamanho dela :) O resto vai-se consertando com o tempo! Beijinhos

      Eliminar
  3. Apesar de, de momento, não fazer exercício (pelos vistos a lida da casa, pura e dura, não conta), também já desisti de olhar para a balança e de passar por sacrifícios! Tenho hipotiroidismo e as supra-renais avariadas o que me sabota qualquer tentativa de emagrecimento, como tal tento ter uma alimentação saudável e quando posso e tenho companhia faço as minhas caminhadas, mas deixei de sofrer a olhar para um ponteiro e a contar calorias e porções! Não tenho problemas de hipertensão, diabetes ou colesterol. Se gostava de ter menos peso? Claro que gostava, principalmente quando vou às compras e pouca coisa encontro que me sirva ou que me fique bem, mas visto que as banhocas são mais teimosas que sei lá, só tenho é de olhar no espelho e conviver bem com o que vejo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu compreendo-a Assunção, quanto mais nos pressionamos para obter resultados específicos, mais probabilidades temos de sair tudo ao contrário por causa do stress em que entramos (e isso está comprovado cientificamente). Façamos aquilo que pudermos... e olhe que a lida da casa e as caminhadas já são por si só um óptimo ponto de partida! Quanto às suas "banhocas teimosas" deixe lá... Não devem ser grandes o suficiente para ofuscar a mulher que existe acima delas! Beijinhos grandes

      Eliminar
  4. Devagar, chega lá.
    Gosto muito da 2ª foto, pois o vestido fá-la uma menina.
    Beijijho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria, por acaso foi um presente que me deram, mas acertam em cheio!
      Beijinho grande! :)

      Eliminar
  5. uau!
    MTos parabéns! tb queria conseguir ter motivação para isso apesar de já ter melhorado a relação com a comida. o peso não é tudo qdo se vê resultados nas roupas!
    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso Carina! As nossas roupas são os melhores indicadores de que estamos a melhorar!
      Força. Motive-se e anime-se! Se já melhorou a sua relação com a comida só falta mexer-se!
      Beijinho grande :)

      Eliminar