As redes sociais terceirenses

sábado, setembro 05, 2015

(o telefone fixo toca e corro escada abaixo para atendê-lo)

- Boa tarde sinhóra. A sinhóra sabe me dizê se hoje à tourada na Vila-Nova (freguesia onde eu vivo)?
- Ah sinhóra ê na sei lhi dizê. A sinhóra ligou aqui pra baixo, prá Canada da Bezerra... (uma ponta da freguesia)
- Mas cumaé que o tempo tá? Tá bom? Inda chove? Na clariou?
- Cá nada sinhóra. Tá forrado forrado e de vez em quando cai umas pancadas d'água grandes.
- Pois é que mê home veio agora do mar, aqui de São Matês (do outro lado da ilha), e tem cracas (marisco) fresquinhas que consola pra vender, mas na sabe se há touros aí pra cima... 
- A sinhóra telefone prá sociedade ou prá padaria do João Meneses (sempre a fazer publicidade)... 
Eles devem saber se há ou não há. A sinhóra que ligue.
- Ah mas ê na tem o número, a minha filha é que me deu este ao calhas para saber do tempo. 
Ela viu na lista telefónica. Mas ê na tenho mai nenhum.
- Pois, na sei sinhóra. Nã a consigo ajudá.
- Na faz mal. Muito obrigada e tudo de bom pra sinhóra.
- Pra si também sinhóra. Boa tarde.

Deixe um comentário

1 comments