Combater a depressão através dos alimentos

quarta-feira, outubro 21, 2015


Será possível? Eu continuo a manter o que disse: acredito mais nas drogas... Infelizmente não existe nenhuma que reduza, (milagrosamente), o perímetro corporal à volta da BARRIGA! Foi essa a única razão pela qual decidi experimentar uma dieta "anti-depressão" recomendada por uma nutricionista da ilha. 

Fazer dieta na Terceira é M-U-I-T-O difícil (para quem não vive ou nunca viveu cá acredito que seja difícil perceber o grau de veracidade desta minha afirmação). Nós gostamos de comer (mais do que todas as outras pessoas do país). Nós gostamos de comer até "rapar o prato". Nós não somos gente de fazer cerimónia. E nós também não gostamos de correr (só no caso de aparecer um toiro pela frente). Além das características que nos são próprias, o calendário de festividades e eventos terceirenses não é de todo aconselhado a pessoas que sofram do estômago. As evidências confirmam-no: HÁ FESTA TODO O ANO. E festa na Terceira é sinónimo de mesas fartas (e "coolers" cheias de cerveja).

De Maio a Outubro é época das touradas. Em Novembro há um intervalozito, muito pequenito, para recuperarmos da azia... e em Dezembro cai-se-nos o Natal em cima e os 500 menino-mija, (tradição açoriana de se visitar a casa dos amigos), a que uma pessoa tem de ir. Em Janeiro, fazemos as promessas todas que dificilmente iremos levar a bom porto no resto do ano e em Fevereiro chega o Carnaval e o cheirinho a filhoses fritas vindo das sociedades das freguesias. Portanto só se faz dieta p'raí em Março e Abril. "Dieta preventiva", vá, que uma pessoa já sabe que aquilo que perder, volta a engordar.

O J, o ex-namorado de quem eu nunca paro de falar, tinha uma teoria muito estranha (estranha aos olhos de uma terceirense corpulenta como eu). Ele defendia que nos devíamos levantar da mesa com apetite, isto é, não devíamos comer tudo aquilo que nos apetecia. De cada vez que ele me mandava parar de comer batatas fritas apetecia-me fusilá-lo. Então o homem não sabia que uma pessoa deprimida só sente feliz a comer?! Raios parta! É óbvio que estou a brincar e é óbvio que ele tem razão, mas alimentar este corpo (e esta mente) é de facto uma tarefa difícil tendo em conta todos os factores circundantes e circunstanciais.

Contudo, desde o inicio do mês, data em que comecei a dita dieta contra a depressão, que encarnei num esquilo... Uma pessoa não faz mais nada senão passar a dia a comer nozes, avelãs, amêndoas e por aí fora. Basicamente, tudo o que fizer barulho a mastigar e não souber a nada.  Outra componente deste regime alimentar que uma pessoa se vê obrigada a seguir é a ingestão de chás... Chás esquisitos, feitos com as especiarias mais estranhas. Já agora, se algum dia quiserem dar um "chega p'ra lá" num inimigo vosso, sirvam-lhe um cházinho de limão com pimenta cayena. É tiro e queda. Não recomendo a ninguém. Até acho que fiquei com as narinas maiores desde que o bebi... Espero que esta nova forma de comer me ajude a baixar o cortisol, esse danado que me fez subir dois números de roupa! Garanto-vos que ele vai aprender uma coisa: quem se mete com a CC não sabe o que lhe espera.

Deixe um comentário

2 comments

  1. Mas os alimentos que fazem ruído a mastigar, também devem ser comidos com moderação.

    ResponderEliminar