O bom principio de acreditar nos outros

quarta-feira, dezembro 02, 2015

O título não é meu, [é da Sílvia Oliveira, directora executiva do Dinheiro Vivo], mas despertou-me a atenção. Num artigo sobre o sucesso dos novos empreendedores portugueses destaca-se a importância da concorrência saudável, "nós [os empreendedores] somos muito próximos. Falamos bem uns dos outros. Não nos vendemos por vender, mas porque acreditamos uns nos outros" (Filipa Neto da Chic by Choice). Eu, que sou muito céptica nestas coisas, custa-me a acreditar que sim.

13 anos na grande capital não me dão razões para defender o contrário. "Botar abaixo o outro" é muito nosso. É cultural. E é lamentável. A maioria dos empreendedores com quem trabalhei nunca falaram bem dos outros (em alguns casos, nunca falaram bem dos seus). Falaram sim dos 1001 esquemas que tinham arquitectados para dar cabo da concorrência (como se isso fosse possível). A concorrência não é uma coisa negativa, mas é difícil explicar isso às pessoas, principalmente aos empreendedores. Não costumam dizer que a crise é uma oportunidade? A concorrência também o é. 

Os melhores empreendedores são aqueles que estão concentrados no seu negócio, independentemente do(s) vizinho(s) do lado. Na Terceira, por exemplo, anda tudo à caça do empreendedorismo fácil, "se deu certo para aquele, também dará para mim". Errado. O empreendedorismo não é uma roleta russa. Mas não é só nos negócios que as pessoas se comportam assim. As pessoas falam mal umas das outras a torto e a direito. Não vale a pena. Não vale mesmo a pena. Tal como vos escrevi ontem, os outros não têm a culpaVamos todos fazer o esforço para acreditar mais nos outros? O mundo agradece.

Deixe um comentário

2 comments

  1. É mais fácil falar que bem.
    Enquanto assim for, nada se consegue.

    ResponderEliminar