Os meus pais são uns grandes nerds

quinta-feira, dezembro 10, 2015

Quando chega ao Natal os apelos à solidariedade em nome individual triplicam. O advento é uma espécie de campanha eleitoral. Uma pessoa "perde-se" com tanto por onde escolher. Há muitos anos que eu sou solidária (e aposto que muitos de vocês são pessoas para serem solidários como eu sou). Querem saber como? Ora muito bem, há vários Natais que dou aulas de novas tecnologias para adultos. Tenho um formando que, infelizmente, tem reprovado em todas as tentativas que faz, mas que nunca perdeu a vontade de aprender mais. Esse aluno chama-se PAI.

Nos primeiros anos tivemos de dominar a técnica de escrever mensagens no telemóvel (o meu pai gosta muito de cumprir o protocolo, ai dele que não responda, personalizadamente, a cada mensagem que lhe enviam). Depois de ter aprendido o procedimento para enviar mensagens com relativo à vontade, conseguimos chegar a um acordo: uma mensagem pro forma para toda a gente. Quando a coisa parecia ir no bom caminho, regredimos um bocadinho. Os telemóveis deixaram de ter teclas e isso veio dificultar o processo. O meu pai, (de quem eu herdei grande parte da minha formosura), tem os dedos gordos. Pessoas com dedos gordos têm mais dificuldade a escrever em telemóveis touch-screen. Se o telemóvel tivesse vida própria já tinha feito queixa por maus-tratos e violência doméstica a laia da pancadaria que o meu pai lhe dá. Levámos mais não sei quantos anos para dominar o bicho. Quando eu pensei que as coisas estavam tranquilas, e que ele, já a pensar na reforma, ia deixar-se de frescuras, vai o homem e cria uma conta de facebook. SOCORRO!!!! A sério, ajudem-me!!!!

Não sei o que é que hei-de esperar do que aí vem... O facto de ele ter criado uma conta de facebook ainda se torna mais perigoso por ele não usar óculos. Ou melhor, ele usa, mas não os põe. Já o apanhei com uma lupa a tentar identificar as fotografias de perfil dos amigos da tropa. Às vezes pergunta-me pr'a que é que serve aquele espaço em branco que diz "escrever um comentário" e quando comenta não percebe porque é que algumas pessoas aparecem a comentar a mesma coisa do que ele. Hmmmm, prevejo um longo caminho até conseguirmos domesticar a máquina do Sr. Zuckerberg. Recentemente ficou muito aflito porque ao invés de "adicionar um amigo", o dedo, gordo, escorregou para o lado, e ele eliminou-o. Queria telefonar-lhe a pedir desculpa. Menos pai, menos. Os sexagenários levam estas coisas muito a sério, mal sabem eles da balbúrdia que pr'aí anda nas redes sociais.

Com a minha mãe, a introdução nas novas tecnologias decorreu de uma forma mais suave, sem grandes percalços. Agora ela ri-se dele porque ele não sabe nada... Isto ainda vai acabar em divórcio (já vi casamentos dissiparem-se por coisas mais pequenas). Duvido que eles saibam vir até aqui direitinhos, mas caso venham, estou muito orgulhosa de vocês (vai na volta ainda fico sem prenda de Natal por estar a expor em demasia a iliteracia familiar). Tudo na paz, viu?! Um "ganda" like para vocês! (não sabem o que é? eu depois explico!).

Deixe um comentário

1 comments