Ter boa imagem não é só seguir a moda

terça-feira, janeiro 05, 2016



Antes de 2015 acabar tive a oportunidade de dar uma entrevista ao Diário Insular sobre o trabalho de coaching de imagem que desenvolvo em parceria com as clínicas Mythos, em Angra e na Praia. Espero que gostem!

DI: Como define o conceito de consultoria de imagem? A consultoria de imagem, ou o coaching de imagem, é um processo que consiste no alinhamento da imagem de um individuo com a sua respectiva personalidade e com o meio envolvente onde está inserido.

DI: Que importância tem a imagem na sociedade actual? A imagem é uma ferramenta de marketing pessoal com muito poder. Não é à toa que se diz “que uma imagem vale mais do que mil palavras”. A sociedade em que vivemos é uma sociedade visual, continuamos a julgar o próximo pela imagem. As redes sociais também tem uma quota parte de responsabilidade. Somos incitados a expôr-nos cada vez mais. Desengane-se quem pensa que a imagem é um conceito passivo... Que existe apenas na mente do nosso interlocutor e que não depende de nós. A imagem é o resultado das nossas acções e é justamente por causa disso que pode e deve ser gerenciada. Os políticos têm consultores de imagem. Os futebolistas têm consultores de imagem. Os grandes empresários e os grandes executivos também. A imagem é fundamental para o sucesso e o êxito a título individual.

DI: E que importância lhe devemos atribuir? Devemos assegurar-nos de que ela joga a nosso favor, mas não devemos ser seus escravos. Tudo na vida requer equilíbrio. Não sou apologista de fundamentalismos.

DI: O que deve valer mais na imagem de uma mulher, a moda ou o que respeita o seu tipo de corpo e características de rosto e tom de pele? Sem dúvida o que respeita o tipo de corpo e as características de rosto e tom de pele. Todos nós já caímos no erro de adoptar tendências que não nos são favorecedoras. É normal. Há uma certa ideia de que para se ter uma boa imagem tem de se usar o que é o último grito de moda, mas não é verdade. Gostamos de copiar o que vemos os famosos usar, mas o que resulta bem numa pessoa pode não resultar em nós. Uma mulher pode estar bem vestida com a roupa da bisavó ou com roupa do chinês. Basta escolher o que a favorece mais e o que dá ênfase às suas melhores características. Normalmente é isso que as pessoas têm mais dificuldade em identificar, os seus pontos fortes.

DI: Onde desenvolve o seu serviço de consultoria de imagem? Actualmente os meus serviços de consultoria/coaching de imagem estão disponíveis nas clínicas Mythos Care, em Angra do Heroísmo e na Praia da Vitória.

DI: Quais são as tendências que se devem seguir no próximo ano?O próximo ano será certamente um ano rico em fusão de estilos. A influência dos anos 70 continuará a notar-se. Há um regresso ao espirito livre. Franjas, couro, camurça, flores, bordados, gangas, patchwork, rendas, tudo será tendência. O artesanal ganha destaque. Por outro lado, o vintage, reconhecido através das cinturas bem marcadas, dos detalhes florais e das saias com volume abaixo do joelho continua a ser uma aposta segura. Os top-cropped, os vestidos camisa (chemisiers), as calças clochard (cintura alta e pregas abaixo do cós) e as culotes (bermudas) serão as peças-chave. Pretende-se recuperar a imagem da mulher feminina e delicada de uma forma despretensiosa.

DI: O que faz para si uma mulher bonita? A confiança que emana. A convicção com que vive. A elegância na forma como trata os outros. E a energia positiva e inspiradora que transmite a quem a rodeia. Apesar dos acessórios e dos recursos que temos à nossa disposição hoje em dia, a beleza será sempre algo mais do que aquilo que vestimos.

 DI: Que passos existem no processo de consultoria de imagem? É importante clarificar o público sobre as diferenças de métodos de trabalho que se podem encontrar quando se recorre a serviços nesta área. Os consultores tendem a seguir os modelos de análise sobre os quais trabalharam ao longo da sua formação. Eu fiz o meu curso de Assessoria de Imagem e Personal Shopper em Espanha. Trabalhei ainda como Assistente de Guarda-Roupa na TVI e passei os últimos 3 anos numa loja de lingerie. Trabalhar numa loja, dirigida ao público feminino, é fundamental para entender um pouco mais as mulheres. A consultoria de imagem começa sempre por um Diagnóstico de Estilo. É quase uma ida ao psicólogo. Temos de perceber em que ponto é que a cliente está. Qual a consciência que têm de si mesma e da sua própria imagem. Nesta primeira consulta costumo tirar medidas (que me ajudam a definir o formato do corpo) e colocá-los em frente ao espelho. Obrigo-os a enfrentarem-se, uma coisa que muita gente não gosta de fazer. A partir daí realizo um Estudo do Biótipo, formato do corpo, e com o que já temos em mãos podemos passar à Definição do Dress Code Pessoal, ou seja, elaboro uma espécie de livro de estilo sobre o que é ou não adequado à cliente. No final do processo sugiro uma Proposta de Estilo Vestimentar, tendo em conta as características pessoais, o biótipo e o dress code mais adequado. Isto é, depois de termos aprendido bem a teoria, podemos “brincar” com o que temos.

DI: Quais são as peças chave que recomenda às mulheres? Toda a mulher tem de ter obrigatoriamente um blazer e um vestido (o vestido não tem necessariamente de ser preto, mas se for, melhor). Essas duas peças são fundamentais em qualquer guarda-roupa. 

Deixe um comentário

0 comments