Círculo

domingo, dezembro 18, 2016


Escrevi este texto, em jeito de recado urgente, há dois anos. Não costumo, por norma, requentar o que deito cá pr'a fora, mas, passados tantos dias depois de o ter feito, dei-me conta de que as mesmas palavras continuam a fazer sentido. À(s) M(s). E a todos nós... que vamos sobrevivendo conforme podemos, conforme sabemos.

«A M. contou-me, em modo sincero, o quão exacerbada se sentia naquele preciso momento e a forma como esse sentimento se tinha repetido nos últimos meses da sua vida. Sentia-se cansada, a viver dentro de um mundo que não era aquele que tinha planeado, sufocada por contas que não paravam de chegar, e angustiada pelas horas que corriam e que lhe sugavam o tempo que lhe restava para brincar com a filha. Em jeito de desabafo, concluiu o "bota-fora" com a palavra "sobrevivência" dizendo que era esse o nome próprio que definia o seu ano e aquilo que ela tinha conseguido fazer: sobreviver, a [duras] penas.

Fiquei a pensar nisso que ela me tinha contado, e ao fim de alguns dias, apropriei-me da palavra dela [aliás, percebi que a palavra dela era uma óptima palavra para definir o ano de todos aqueles que me rodeavam e que me eram mais próximos (incluindo o meu)... sobrevivência soava-me perfeito]. Na altura em que a M. me levou a reflectir sobre isto, eu ainda não tinha coisas suficientes para lhe dizer, mas hoje, acho que já lhe posso dizer umas duas ou três, e a primeira delas é muito simples: sobreviver, ou "manter a cabeça à tona da água", não é uma coisa necessariamente má, antes pelo contrário, é uma virtude humana, comum a centenas de mortais, que faz de nós gente [mais] forte. 

Podem existir palavras mais vitoriosas, mas "sobrevivência" não faz a estória de ninguém menos heróica. Viver é isso mesmo, um esforço constante, e ainda bem, minha cara M. que isso ainda nos é permitido. Sobreviver pode parecer que dá cabo de nós, mas um dia irás perceber que esses anos de sobrevivência só te fizeram melhor... Na realidade, quem não vive, não sobrevive e é isso que eu queria que tu soubesses. Estás no bom caminho. No caminho onde todos nós estamos. E donde todos nós esperamos sair, mas aonde todos nós voltamos. Enquanto sobreviveres tens a oportunidade, todos os dias, de conseguires coisas que talvez nem desejasses se apenas te limitasses a viver. "Sobrevivência" é a melhor das palavras que tu podias ter escolhido. Orgulha-te. Porque tu, e todos nós, [pelo menos aqueles que eu conheço] o merecemos.»

Deixe um comentário

0 comments